Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

ENTREVISTA: Dr. Diego Farias, advogado e professor universitário, explica os principais pontos da reforma trabalhista. Confira!

Dr. Diego Farias, advogado e professor universitário do curso de Direito da AESGA, foi entrevistado pelo jornalista Beto Duran, para matéria no Jornal de Bons Negócios, durante evento promovido pelo mesmo jornal, no final do mês de setembro último, no auditório da CDL Garanhuns.
Foto: Jane Cavalcanti
Entrevista com o Dr. Diego Farias, advogado e professor universitário do curso de Direito da AESGA (Autarquia de Ensino Superior de Garanhuns), falando sobre os impactos da reforma trabalhista nas relações de trabalho a partir do dia 11 de novembro. Publicada em setembro último, no Jornal de Bons Negócios, impresso que circula mensalmente na cidade de Garanhuns, único em sua linha editorial, voltada para negócios, economia e empreendedorismo.

Este tema também foi debatido em evento promovido pelo mesmo jornal, no dia 28 de setembro no auditório da CDL Garanhuns, onde contou também com a participação do contador Leonardo Tenório.

Segue abaixo a reprodução da entrevista com o Dr. Diego Farias:

Jornal de Bons Negócios – JBN: Com a reforma da Lei trabalhista, como ficam as ações que tramitam na justiça por oito anos, sem serem julgadas?

Dr. Diego Farias: De acordo com a reforma trabalhista, as ações que tramitarem por oito anos e não forem julgadas serão extintas.

JBN: Em ações trabalhistas que ficar provada o uso da má fé por uma das partes, existirá punição e, qual?

Dr. Diego Farias: Haverá punições para quem agir com má-fé, com multa de 1% a 10% da causa, além de indenização para a parte contrária. É considerada de má-fé a pessoa que alterar a verdade dos fatos, usar o processo para objetivo ilegal, gerar resistência injustificada ao andamento do processo, entre outros.

JBN: Muda alguma coisa na constituição de sociedades nas empresas, assim como em suas extinções?

Dr. Diego Farias: É importante informar que as mudanças que venham a ocorrer com a vigência da lei nº 13.467/2017, altera mais de cem artigos da CLT e traz várias transformações que afetarão o dia a dia entre o empregado e empregador, outras que abrangem as relações sindicais, bem como outras que envolvem questões judiciais decorrentes de reclamatórias trabalhistas. É necessário, também, alertar que esta lei entra em vigor após decorridos 120 dias de sua publicação, ou seja, a partir de 11/11/2017. Até lá, tanto os novos contratos de trabalho quanto os já existentes, permanecem valendo pelas regras atuais.

Caso seja do interesse do empregador ou empregado que o contrato de trabalho atual seja regido pelas alterações impostas pela reforma trabalhista, será necessário repactuar um novo contrato de trabalho (aditivo contratual), após a entrada em vigor da nova lei.

Nada impede que o empregador faça o aditivo de imediato, com previsão de validade a partir de 11/11/2017. Entretanto, havendo alguma alteração na lei de reforma trabalhista ou caso haja publicação de medida provisória que altere as novas regras antes de sua entrada em vigor, o aditivo já feito poderá necessitar de adequações de acordo com as mudanças.

Portanto, não há mudança na constituição de sociedades nas empresas, e, também, extinções.

JBN: Como ficam os acordos individuais e coletivos, em relação a CLT?

Dr. Diego Farias: Prevalência dos Acordos e Convenções Coletivas sobre as regras estabelecidas na CLT, exceto para questões envolvendo normas de identificação profissional, salário mínimo, remuneração do trabalho noturno superior ao diurno, repouso semanal remunerado, remuneração do serviço extraordinário no mínimo 50% superior ao normal, número de dias de férias, saúde, segurança e higiene do trabalho, FGTS, 13º salário, seguro-desemprego, salário-família, licença-maternidade de 120 dias, aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, entre outros;

Preponderância das normas estabelecidas através de Acordos Coletivos sobre aquelas previstas em Convenções Coletivas, não mais sendo aplicável a regra de que os Acordos Coletivos seriam preponderantes somente naquilo em que fossem mais favoráveis;

Os empregados portadores de diploma de nível superior e que recebam salário igual ou superior a duas vezes o limite máximo dos benefícios do Regime Geral de Previdência Social (atualmente o limite máximo é de R$ 5.531,31) poderão estipular livremente as condições de trabalho de forma individual, sendo que tais estipulações terão eficácia legal e preponderância sobre eventuais normas coletivas, observadas certas limitações.

JBN: A terceirização de atividades fins, não era permitida, agora, com a reforma na lei trabalhista passa a ser. Explique e exemplifique esta questão?

Dr. Diego Farias: Previsão expressa quanto à possibilidade de terceirização de quaisquer atividades, inclusive da atividade principal da empresa;

Assegura aos empregados da empresa prestadora de serviços, quando e enquanto os serviços forem prestados no estabelecimento da tomadora, as mesmas condições oferecidas aos empregados da tomadora em relação à alimentação quando oferecida em refeitório; serviços de transporte; atendimento médico ou ambulatorial; treinamento; condições sanitárias e medidas de proteção à saúde e segurança do trabalho;

Proíbe pessoa que tenha sido empregado da tomadora ou que lhe tenha prestado serviços sem vínculo nos últimos 18 meses, de figurar como sócio de empresa contratada, exceto se referido sócio for aposentado;

Proíbe que ex-empregados da tomadora demitidos há menos de 18 meses voltem a lhe prestar serviços na capacidade de empregados de empresa prestadora de serviços antes do decurso do referido prazo.

JBN: Não haverá a necessidade da homologação em sindicato ou Ministério do Trabalho das rescisões de funcionários com mais de um ano. Como isto deve ser feito, para gerar segurança jurídica para ambas as partes?

Dr. Diego Farias: A lei nº 13.467/2017 revoga a obrigatoriedade de que o pedido de demissão ou recibo de quitação de rescisão do contrato de trabalho firmado por empregado com mais de 1 ano de serviço seja feito com a assistência do respectivo Sindicato ou perante a autoridade do MTE. Na extinção do contrato de trabalho, o empregador agora deverá proceder à anotação na CTPS, comunicar a dispensa aos órgãos competentes e realizar o pagamento das verbas rescisórias. No prazo único de até 10 dias, contados a partir do término do contrato, o empregador deverá entregar os documentos que comprovem a comunicação e o pagamento dos valores constantes do instrumento de rescisão ou recibo de quitação.

JBN: Qual o procedimento para o demitido dar entrada no Seguro-Desemprego?

Dr. Diego Farias: A anotação na CTPS passa a ser documento hábil para requerer o benefício do seguro-desemprego e o levantamento do FGTS, desde que a comunicação aos órgãos competentes tenha sido realizada (art. 477 da CLT).

JBN: Está prevista multa, em caso da constatação de empregados sem registros na empresa. Como será isto e, quais as ações preventivas que os empregadores devem ficar atentos?

Dr. Diego Farias: A lei nº 13.467/2017 mantém a ausência de registro do empregado como infração sujeita a multa, mas altera o seu valor para R$ 3.000,00 por empregado não registrado, acrescido de igual valor em cada reincidência e explicita que essa infração constitui exceção à dupla visita (art. 627 da CLT). Inova para estabelecer que, quando se tratar de microempresa ou empresa de pequeno porte, o valor final da multa aplicada será de R$ 800,00 por empregado não registrado. Acrescenta ainda que na hipótese de não serem informados outros dados do empregado (admissão no emprego, duração e efetividade no trabalho, férias, acidentes e demais circunstâncias de proteção do trabalhador – art. 41, parágrafo único da CLT) o empregador ficará sujeito a multa de R$ 600,00 por empregado prejudicado (art. 47 e 47-A da CLT).

JBN: Horas Extras, Banco de Horas e Acordo de Compensação. A novidade é que se permitirá o acordo de compensação de jornada através de acordo individual entre patrão e empregado, antes era matéria de negociação coletiva de trabalho com o aval do sindicato da categoria. Qual a maneira segura de fazer isso?

Dr. Diego Farias: O sistema de compensação de jornada de trabalho conhecido como "Banco de Horas", anteriormente autorizado somente via norma coletiva, passa a ser autorizado por acordo individual com o trabalhador, desde que a compensação ocorra no período máximo de 6 meses;

Extinção do direito às horas "in itinere", assim consideradas aquelas que o trabalhador incorria no percurso entre sua residência e o local de trabalho, quando o empregador fornecia transporte até local de difícil acesso ou não servido por transporte público;

As horas extras decorrentes da ausência de concessão de intervalo intrajornada, antes consideradas como pagamentos de natureza salarial, passam a ser expressamente tratadas como verba de natureza indenizatória, não refletindo no cálculo de outros direitos trabalhistas. Paralelamente, o tempo de intervalo intrajornada poderá ser alvo de negociação coletiva desde que respeitado o período mínimo de 30 minutos;

Possibilidade de se pactuar o sistema de jornada de trabalho 12x36 por acordo individual (anteriormente tal estrutura somente poderia ser implementada por norma coletiva), desde que observados ou indenizados os períodos de intervalo para repouso e alimentação;

O trabalho em regime de tempo parcial - antes definido como aquele cuja duração não excedia a 25 horas semanais -, passa a ser considerado como aquele que não exceda a 30 horas semanais, sem a possibilidade de horas suplementares semanais, ou, ainda, aquele cuja duração não exceda a 26 horas semanais, com a possibilidade de acréscimo de até 6 horas suplementares semanais;

Extinção do direito ao intervalo de 15 minutos antes do início da prestação de trabalho em horas extraordinárias;

JBN: A permanência do empregado dentro da empresa, quando não estiver produzindo, como será visto pela CLT?

Dr. Diego Farias: Os períodos em que o empregado permanecer nas dependências da empresa para realização de atividades particulares, assim como alimentação, descanso, lazer, estudo, relacionamento pessoal, troca de uniforme quando não houver a obrigatoriedade de realizar a troca dentro da empresa, entre outros, passam a ser expressamente considerados como tempo em que o empregado não está à disposição do empregador, não sendo devido o pagamento de horas extras pelo período correspondente caso ocorra fora da jornada;

JBN: Quanto a modalidade do teletrabalho, conhecido como home office, quais foram as mudanças e como haver controle?

Dr. Diego Farias: A lei nº 13.467/2017 regulamenta o teletrabalho, definindo-o como aquele prestado fora das dependências do empregador, com a utilização de tecnologias de informação e de comunicação que, por sua natureza, não se constituam como trabalho externo. O comparecimento às dependências para a realização de atividades específicas que exijam a presença do empregado não descaracteriza o regime. Excetua-se o teletrabalho da observância das regras gerais de duração do trabalho (exemplo: controle de frequência). O acordo expresso entre empregado e empregador é condição para que se passe do trabalho presencial para o regime de teletrabalho; mas o empregador pode determinar unilateralmente a mudança do teletrabalho para o regime presencial, garantido prazo de transição mínimo de 15 dias neste caso. As disposições quanto a aquisição, manutenção ou fornecimento dos equipamentos e da infraestrutura necessários ao teletrabalho deverão constar por escrito no contrato de trabalho, não integrando a remuneração do empregado. No mais, o empregador deverá orientar os empregados, de maneira expressa e ostensiva, quanto às precauções que deverão ser tomadas a fim de evitar doenças e acidentes de trabalho. O empregado deverá assinar termo de responsabilidade comprometendo-se a seguir tais instruções (art. 62, III, 75-A a 75-E. CLT).

JBN: Para ser seguro, como deve ser o contrato de trabalho, já que cada empregado pode ter função, horário e modalidade de trabalho diferente?

Dr. Diego Farias: A CLT afirma que o contrato de trabalho deve ser obrigatoriamente registrado. E este registro segue as normas contidas no art. 13 da CLT: “A Carteira de Trabalho e Previdência Social é obrigatória para o exercício de qualquer emprego, inclusive de natureza rural, ainda que em caráter temporário, e para o exercício por conta própria de atividade profissional remunerada”.

É essencial informar aos empregados e empregadores que nada foi alterado com a relação a este artigo.

Apesar das explicações técnicas do nosso entrevistado, tudo em relação as alterações na CLT é novo. O fato é que as relações de trabalho, juridicamente falando, serão modificadas em novembro e, se faz necessário que tanto empregados como empregadores, tenham pleno conhecimentos, ao menos, dos principais pontos das mudanças. Afinal, a reforma trabalhista tem por intensão flexibilizar as relações do trabalho, oportunizando situações legais e produtivas para os lados envolvidos.

Inicialmente, se falava que a reforma trabalhista irá gerar mais empregos. Acredito que o que vai gerar mais postos de trabalho será o crescimento da economia. Crescendo a economia, as empresas contratam mais. No entanto, essa reforma irá permitir regularizar situações de trabalho, antes não contempladas pela lei.

A questão de como a Justiça do Trabalho vai reagir aos novos fatos que surgirem decorrentes dessas mudanças, só o tempo dirá.

Por Beto Duran

É HOJE: Projeto Colmeia chega a Garanhuns nesta quinta-feira (19/10)

Divulgação / Sesc
Para promover o bem estar da população no que diz respeito às questões de saúde e cidadania, diversas campanhas são realizadas em todo o país. O Sesc é uma das instituições que tem essa preocupação em Pernambuco. Por isso, desenvolve o Projeto Colmeia nas unidades espalhadas pelo Estado. Esta semana, a cidade de Garanhuns receberá o projeto na quinta-feira (19/10).

O evento, que acontece em frente ao Ginásio do Sesc, vai oferecer serviços de saúde, beleza, atendimentos médicos, odontológicos e serviços de cidadania. Na área de saúde, vai ter teste de classificação sanguínea, triagem de catarata, acuidade visual, avaliação bucal, aferição de pressão arterial, pesagem e verificação de glicemia. O público vai poder participar ainda de avaliação funcional e física, prevenção de câncer de mama e do colo do útero, mamografia de rastreamento e exames de hanseníase.

Na área de cidadania, a população terá acesso a orientações jurídicas e de empreendedorismo, informações sobre o programa Bolsa Família, emissão de documentos e atendimentos da Compesa e da Celpe. No quesito estética, serão oferecidos cuidados com a pele e o cabelo, massagem, ginástica laboral, pilates e aula de dança. A ação começa às 9h e segue até 15h. A expectativa do Sesc Garanhuns é atender cerca de 10 mil pessoas durante a ação.

“Ao realizar o Projeto Colmeia, o Sesc atinge um de seus objetivos que é o de proporcionar o bem estar da população. A união do Sesc com outras instituições em prol da solidaridade, proporciona à população diversos serviços totalmente gratuitos. Nossos parceiros sempre trazem serviços de qualidade que contribuem para o sucesso do evento. Somos gratos a cada um por acreditarem no potencial do Colmeia e fazer com que, a cada edição, possamos atender um maior número de pessoas com excelência e respeito”, ressalta Ivânia Barros, gerente do Sesc Garanhuns.

Para a promoção do Projeto Colmeia, o Sesc conta com os parceiros: Hemocentro Regional de Garanhuns; Autarquia Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes; Corpo de Bombeiros; Yes Cosméticos; Universidade de Pernambuco (UPE); Plantão Psicológico do Núcleo de Estudos em Fenomenologia Existencial, Ação Clínica e Prática Psicológica (NUEFE); Duo Fitness; Farmácia Santa Ana; Secretaria Municipal de Assistência Social; Centro de Aperfeiçoamento Profissional (CETA); Escola Senai Garanhuns; Café Ouro Verde; IFPE; Mary Kay Cosméticos; Compesa; 71º Batalhão de Infantaria Motorizado; Celpe; Expresso Cidadão; DNZ Óticas; Rede Feminina Regional de Combate ao Câncer de Garanhuns; Uniodonto; Aurtarquia do Ensino Superior de Garanhuns (Aesga); Senac; Núcleo de Assistência aos Pacientes Hepáticos (Naphe); Unopar; Secretaria Municipal de Saúde; e Faculdade Anhanguera.

Serviço – Projeto Colmeia no Sesc Garanhuns
Data: 19 de outubro de 2017
Local: Sede do Sesc Garanhuns – Rua Manoel Clemente, nº 136, Centro
Horário: das 8h às 15h
Atendimentos gratuitos
Informações: (87) 3761-2246

terça-feira, 17 de outubro de 2017

A MAGIA DO NATAL: Programação oficial da Magia do Natal, em Garanhuns, é divulgada

Divulgação / Secom PMG
A Secretaria de Turismo e Cultura de Garanhuns divulgou nesta segunda-feira (16) a programação oficial da Magia do Natal, que será realizada de 10 de novembro a 31 de dezembro com atrações artísticas. Serão 16 polos no total incluindo o Palco Prefeitura, os distritos de São Pedro, Iratama, Miracica e Quilombo Castainho e 10 bairros, além do Polo Infantil, que funcionará na Praça Souto Filho, na Fonte Luminosa. As atrações incluem projetos com foco na temática natalina, os tradicionais desfiles de Papai Noel e diversas atrações locais, valorizando a produção garanhuense. Entre os nomes nacionais estão Leonardo Sullivan, Joana, The Fevers, Adilson Ramos, Roupa Nova Cover e Quinteto Violado. A decoração permanece disponível para embelezar as fotos até 06 de janeiro de 2018.

Já estão sendo instaladas as peças produzidas por cerca de 70 artesãos locais e as lâmpadas que iluminam as noites dos próximos meses em vários pontos da cidade. Idealizada pela administradora Michelle Régis, e executada pela equipe da Secretaria de Turismo e Cultura, dos artesãos da Associação da Casa do Artesão de Garanhuns e da primeira-dama Socorro Régis, a decoração é atração principal desde o pórtico de entrada da cidade, passando pela Praça Tavares Correia, onde está instalado o Relógio das Flores; a Praça Souto Filho, conhecida como Fonte Luminosa; a Avenida Santo Antônio, principal via do Centro; e o Palácio Celso Galvão, onde está a sede da Prefeitura.

Um dos momentos mais esperados da magia do Natal são os Desfiles de Papai Noel, com a participação de crianças dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras). Este ano serão 15 desfiles no total, aos sábados e domingos a partir do dia 11 de novembro até 30 de dezembro, sempre às 18h, na Avenida Santo Antônio. O Palco Prefeitura terá shows às sextas, sábados e domingos do dia 10 de novembro a 23 de dezembro; dia 25; e dias 29 a 31, com o show da Virada. Já os distritos recebem a programação aos domingos, São Pedro (19/11), Iratama (26/11), Miracica (03/12) e Quilombo Castainho (10/12).

Os bairros terão shows durante a semana nos dias 22 de novembro - Rua Djalma Ramos na Cohab 3; dia 23 na Praça Campos Sales, no Magano; 29 na Rua Elis Regina, na Várzea; e 30 de novembro no Largo da Feirinha, na Boa Vista. Para o mês seguinte estão programados shows na Rua da Liberdade, na Liberdade (dia 06); Praça Agnaldo Barros Silva, na Vila do Quartel (07/12); Rua Manoel Pessoa Juvenal, no Indiano (13/12); Rua São Domingos, no bairro São José (14); Rua Carlos Drumond de Andrade, no Parque Fênix (20); e Rua Antônio Napoleão, na Cohab 2 (dia 21). O Polo Infantil, que funciona aos sábados de dezembro, tem foco na produção literária nos dias 02 (às 16h), 09 (às 18h), 16 (às 16h30) e 23 (às 18h).

NATAL 2016 - Tanta beleza e arte rende positivamente para a economia de Garanhuns. Em levantamento realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico ao final da última edição do evento, foi registrado um aumento de vendas de 7% a 10% em empreendimentos do setor de vestuário; nos bares e restaurantes também foi constatado um crescimento – ainda mais significativo – marcando de 10% a 12% de evolução e muitos donos de estabelecimentos de gastronomia arriscaram falar em cerca de 100% de evolução. A taxa de ocupação aumentou durante o período do evento, chegando a 100% nos fins de semana, onde os próprios hotéis tiveram que articular entre si, para que os turistas não ficassem sem hospedagem. O faturamento da rede alimentícia foi 42% em média, mas chegando a triplicar aos sábados e domingos. Em 2016, Garanhuns recebeu 600 mil turistas e contabilizou uma movimentação econômica de R$ 20 milhões.

Por Edméa Ubirajara / Secom PMG


Confira a programa completa:






GARANHUNS: “Momento com a Saúde” oferece atividades gratuitas no Parque Euclides Dourado

Reprodução internet
A Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos promove, nesta terça-feira (17), o “Momento com a Saúde”. O evento está inserido na programação da Semana do Idoso, iniciada ontem (16), em Garanhuns. Serão ofertados diversos tipos serviços aos visitantes do Parque Euclides Dourado, entre eles aferição de pressão arterial, testes rápidos, dança e atendimentos do programa Bolsa Família e do Benefício da Prestação Continuada (BPC) Idoso.

Na programação, também haverá apresentação da Orquestra Manoel Rabelo. A ação inicia às 9h, no próprio atrativo turístico, localizado na avenida Júlio Brasileiro, bairro Heliópolis, e segue até o meio-dia, contanto com a parceria da Secretaria Municipal de Saúde.

Por Cloves Teodorico / Secom PMG

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

GARANHUNS: Parque da Criança teve público médio de cinco mil pessoas durante o feriado

Camila Queizos / Secom PMG
O feriado de 12 de Outubro, data em que se comemoram o Dia de Nossa Senhora Aparecida e o Dia das Crianças foi repleto de diversão, brincadeiras, música e leitura em Garanhuns. De acordo com a Secretaria de Juventude, Esportes e Lazer estiveram no Parque Euclides Dourado mais de 5 mil pessoas. Na programação, estiveram show com o palhaço Geraldo, zumba kids, brincadeiras guiadas por profissionais, brinquedos de parquinho, playground e um monte de delícias. Quem participou ainda recebeu brindes e ganhou conhecimento nas sessões especiais do planetário. Ainda sobre conhecimento, ocorreram projetos de leitura na Biblioteca Luiz Brasil e Mostra de Artes Marciais com a participação das academias Sylvestre de Karatê-Dô e Presley Araújo de Judô.

Tinha boneca Emília, Homem-aranha, Super-homem, princesas, guerreiros e guerreiras. Todos vestiram a fantasia para um dia totalmente diferente do que vivem diariamente. A todo momento chegavam mais crianças e ao todo foram distribuídos 3,8 mil ingressos para 10 equipamentos do parque de diversão. “Embora tenhamos tido um número limitado de ingressos, superamos as expectativas e com a experiência de hoje podemos projetar o futuro para termos como atender a toda essa demanda”, declarou secretário de Juventude, Esportes e Lazer Carlos Eugênio. O titular da pasta acrescentou ainda que houve participação de todos os bairros, algumas comunidades rurais e até mesmo cidades vizinhas.

Maria das Graças Silva, 50 anos, chegou bem cedinho para garantir os ingressos das três sobrinhas netas Marina (05 anos), Mariana (09) e Maria Eduarda (13) para garantir a diversão no Dia das Crianças. A doméstica, residente no Indiano, fez toda uma estratégia, foi uma das primeiras na fila do ingresso e ainda levou um lanche reforçado para as meninas. “Elas foram em todos os brinquedos. Se esse tipo de coisa se repetisse era muito bom, porque se não fosse isso eu nunca poderia pagar para elas brincarem nesses brinquedos nem com essas professoras”, disse. A festa das três parecia não ter hora para acabar, já que Maria conseguiu local para descansar e não tinha pressa de ir embora.

O Parque das Crianças foi realizado pelas Secretarias de Juventude, Esportes e Lazer, Comunicação Social e Turismo e Cultura, com apoio das Secretarias de Educação, Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente e Saúde, além do 9º Batalhão da Polícia Militar e Autarquia Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes.

Por Edméa Ubirajara / Secom PMG

GARANHUNS: Jornal de economia publica matéria sobre a impotância das indústrias de Garanhuns


A Indústria de Bebidas Garanhuns, inovou sendo uma das primeiras indústrias regionais a envazar seus produtos nas embalagens PET.
Reprodução internet
O município de Garanhuns possui várias indústrias com boa presença de mercado, levando o nome do município junto aos seus produtos, além de gerar postos de trabalho, fortalecer nossa economia. Assim, o impresso de Garanhuns, Jornal de Bons Negócios, publicou na edição do mês de setembro na página Indústrias de Garanhuns, começando com a Indústria de Bebidas Garanhuns, conhecida como Indústria Jatobá.

História

No ano de 1970 teve início à história da Indústria de Bebidas Garanhuns – Produtos JATOBÁ, após o Sr. José Barros receber das mãos do seu amigo, o Sr. Manoel Galvão (em memória), a fórmula do que seria o seu primeiro produto: Bebida Alcoólica Mista com Jurubeba, popularmente conhecida como Vinho Jurubeba. Não imaginava ele, que essa fórmula, escrita num couro de bode, e entregue em suas mãos, fosse se tornar uma referência de Indústria de Bebidas na Região. Haja vista, que na época existiam mais de 30 fabricantes.

O nome Jatobá foi inspirado em uma frondosa árvore com o mesmo nome, que havia na Fazenda Capoeiras, propriedade do sogro do Sr. José Barros. Após sete anos do seu início o Sr. Jeová Barros assume a direção da empresa, ampliando de imediato o seu Mix de Produtos, lançando a Bebida mista de Gengibre, Vinho Tinto de Mesa, e os Refrigerantes: Guaravina, Ciranda e o Jatobá Tutti-Frutti.

Em 1986 devido ao crescimento da empresa foi construída uma nova fábrica com modernas instalações e atendendo as exigências dos órgãos fiscalizadores, onde até os dias de hoje a empresa continua inovando e investimento em equipamentos modernos e mão de obra qualificada, oferecendo assim o melhor para seus consumidores, e mantendo a credibilidade dos Produtos Jatobá no mercado e nas mesas de todas as famílias de nossa região.

Nos anos 90, a Indústria inovou sendo uma das primeiras indústrias regionais a envazar seus produtos nas embalagens PET, que lideram o mercado até hoje. Neste período, o quadro de funcionários girava em torno de 10 pessoas, ainda na primeira sede, que funcionava na Rua Nógalia Lima, tendo uma área de 700m². Hoje, a Industria, está localizada numa área de 20 mil m² e gerando empregos diretos para 91 pessoas.

Atualmente a indústria conta com um mix composto por 24 produtos e/ou embalagens, sendo 04 delas Bebidas Alcoólicas Mistas de Jurubeba (conhecido como “vinho” Jurubeba) e Gengibre (conhecido como “vinho” Gengibre) e as demais são Refrigerantes nas embalagens de 355ml e 600ml (retornáveis) e 250ml, 1 litro e 2 litros nas embalagens PET descartáveis. “Devido a problemas técnicos com fornecedores e também com o consumo que era muito centralizado em períodos Sazonais, decidimos descontinuar por um tempo nosso VINHO JATOBÁ (Vinho Tinto Suave)”, nos conta Laércio Júnior, Gerente Comercial da Indústria de Bebidas Garanhuns que, complementa: “Após anos de trabalho, esforço e empenho, hoje temos uma penetração bastante expressiva e importante em todas as classes, porém, atingimos com mais atenção e força as classes média e baixa que, comumente, são maioria nas regiões e mercados por nós atendidos, nos estados de Pernambuco e Alagoas”, conclui Laércio.

Para o Diretor Financeiro da Indústria de Bebidas Garanhuns, Joselito Pereira, “Já há alguns anos, digo, mais de uma década, nossa Indústria tem investido pesado, buscando inovar dentro e fora das nossas instalações a forma de trabalho e de como devemos enxergar nosso produto e mercado consumidor. Com ações em toda região que cobrimos, temos obtido bons resultados de crescimento, seja na infraestrutura de nossa indústria, seja com o volume vendido no mercado que atuamos, ao ponto de incomodar alguns concorrentes de atuação multinacional, com muita determinação, coragem, planejamento e ação, temos buscado nos superar dia após dia”, finaliza o Sr. Joselito Pereira.

A Indústria de Bebidas Garanhuns, prepara para breve, mais investimentos, inovações e ações de mercado. Com tudo isso, o nome de Garanhuns tem acompanhado cada produto em todos os mercados conquistados e, nos que ainda o serão.

Por Beto Duran

Jornal de Bons Negócios - Edição 10 / Setembro 2017.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

GARANHUNS: Dia das Crianças irá movimentar o Parque Euclides Dourado


Numa ação que conta com a participação de diversas Secretarias e Órgãos Municipais, a Prefeitura promoverá um evento para marcar o Dia das Crianças em Garanhuns. O “Parque das Crianças”, que acontece na próxima quinta-feira (12), no Parque Euclides Dourado.

Ações de recreação com distribuição de brindes; aulão de Zumba Kids, com Renata Rafaelle; sessões do Planetário; projetos de leitura na Biblioteca Luiz Brasil; Mostra de Artes Marciais com a participação das academias Sylvestre de Karatê-Dô e Presley Araújo de Judô; diversões infláveis e um show infantil com o palhaço Geraldo e sua turma farão o dia da criançada garanhuense ainda mais feliz.

“Mesmo com as dificuldades financeiras que a prefeitura atravessa, o Prefeito Izaías Régis decidiu promover uma festa especial para as nossas crianças. Além das atividades, que acontecerão gratuitamente e de forma simultânea, também contaremos com a parceria da Polícia Militar; da Guarda Municipal e da AMSTT, bem como do Conselho Tutelar e das secretarias de Saúde, Agricultura e Abastecimento, para garantir a segurança dos frequentadores do parque durante essa programação especial”, registra Carlos Eugênio, secretário de Juventude, Esportes e Lazer, um dos coordenadores do evento.

O Parque das Crianças acontece das 13h às 17h30, deste dia 12, e conta com a coordenação das Secretarias de Comunicação Social; Turismo e Cultura; Juventude, Esportes e Lazer e Educação, entre outras.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

COMBUSTÍVEIS: Gás Natural Veicular fica ainda mais competitivo em Pernambuco

Rafael furtado
Não foi só o etanol que ficou mais competitivo com as altas e baixas da gasolina. O gás natural também ganhou força diante da nova política de preços da Petrobras. Por isso, só nos oito primeiros meses deste ano, ganhou mais de 1,5 mil usuários em Pernambuco. O número é maior que o registrado em todo o ano passado e gerou um aumento de 8% nas vendas do Gás Natural Veicular (GNV) da Companhia Pernambucana de Gás (Copergás), que já é a maior vendedora de gás natural do Nordeste e a quarta maior do País.

“O preço do gás natural é bastante competitivo no segmento veicular devido aos aumentos da gasolina. Para ter uma ideia, uma pessoa que percorre em média 100 quilômetros por dia pode alcançar uma economia mensal de R$ 500 com o GNV.

Então, temos tido um aumento de consumo significativo”, revelou o diretor técnico comercial da Copergás, Jailson Galvão. Ele explicou que, enquanto o litro da gasolina é vendido por cerca de R$ 3,90, o metro cúbico (m³) do gás natural custa aproximadamente R$ 2,30 no Estado. É como se o quilômetro rodado com gasolina custasse R$ 0,36 para o motorista e o com GNV, R$ 0,17. Por isso, o gás acaba sendo 53% mais econômico.

Além disso, o GNV se apresenta como uma solução sustentável. “Mesmo sendo um combustível hidrocarboneto, o gás deixa menos resíduos que qualquer derivado do petróleo porque tem uma melhor queima”, disse Galvão, explicando que o produto é encontrado na natureza, seja nos campos de petróleo ou em áreas isoladas, e passa por um redutor de pressão para ser disponibilizado para consumo. Em Pernambuco, o gás provém da Bahia, Espírito Santo e Rio de Janeiro, mas é tratado nas 68 estações ou subestações da Copergás. E ele não compromete a potência do veículo, diz Galvão. “O gás ainda é menos corrosivo. Por isso, possibilita uma maior vida útil ao motor”, disse.

Por tudo isso, a companhia quer continuar ampliando o consumo do gás no Estado. A Copergás está até oferecendo descontos para que os proprietários de veículos instalem o kit gás. Hoje, o serviço custa de R$ 4 a R$ 5 mil, mas tem um abatimento de R$ 1 mil nas cinco convertedoras cadastradas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) no Estado. O incentivo vai até o fim do ano, mas a Copergás já avalia a manutenção do programa em 2018. Afinal, com o aumento da procura do gás e a consolidação de outros mercados, o faturamento da empresa está crescendo em plena crise econômica. Em 2016, lucrou R$ 1,139 bilhão, o melhor resultado dos seus 23 anos de atuação.

Por: Marina Barbosa, da Folha de Pernambuco